Atividade física melhora desempenho escolar, revela estudo!

By on 20 de novembro de 2013

Praticar exercícios físicos regularmente melhorou as notas escolares de adolescentes e ajudou, particularmente, as meninas nos estudos de ciências, revela uma pesquisa britânica publicada na terça-feira.

Segundo descobertas divulgadas na edição online do periódico britânico Journal of Sports Medicine, quanto mais ativas fisicamente as crianças forem, melhor o seu desempenho na escola. E, de acordo com um comunicado de imprensa, os “resultados das meninas em ciências pareceram ser aqueles que mais se beneficiaram” das atividades físicas.

Há muito tempo se acredita que movimentar o corpo impulsiona o funcionamento do cérebro, mas poucas evidências científicas existiam até agora.

Para fazer o estudo, cientistas de Inglaterra, Escócia e Estados Unidos mediram o nível de atividade física de quase 5 mil meninos e meninas de 11 anos, que vestiram um “acelerômetro” leitor de movimento durante uma semana.

O desempenho acadêmico em inglês, matemática e ciências dos participantes foi avaliado aos 11, 13 e 16 anos de idade. As crianças mais ativas fisicamente aos 11 anos tiveram um desempenho melhor nas três fases e em todos os temas.

De acordo com os resultados, cada 17 minutos de exercícios diários aos 11 anos produziram uma melhora adicional nas notas dos meninos, e 12 minutos diários para as meninas com 16 anos. O efeito foi notavelmente grande para as meninas em aulas de ciências.

No entanto, os cientistas se preocuparam em observar que, aos 11 anos, os meninos praticam em média 29 minutos de exercícios de moderados a vigorosos por dia e as meninas, cerca de 18 minutos, muito menos do que os 60 minutos recomendados.

“As descobertas impeliram os autores a especular sobre o que poderia acontecer com o desempenho acadêmico se as crianças aumentassem a quantidade de atividade física de moderada a vigorosa que faziam para os recomendados 60 minutos”, destacou o comunicado.

Os pesquisadores ajustaram os resultados para fatores que poderiam influenciar as descobertas, como peso da criança ao nascer, se suas mães fumaram durante a gravidez, peso e origem socioeconômica. Segundo os cientistas, são necessárias novos estudos para entender como os exercícios conduziram a um desempenho melhor.

“As descobertas têm implicações nas políticas de saúde pública e educacional ao fornecer aos pais e às escolas um parâmetro potencialmente importante de melhorias significativas e sustentadas na atividade física”, escreveram.

 

Fonte: ZEROHORA

Gostou? Compartilhe:Share on FacebookTweet about this on TwitterPin on PinterestEmail this to someoneShare on Google+Share on LinkedInShare on TumblrDigg thisShare on RedditShare on StumbleUpon

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Digite a resposta para validar: *